Notícias

Home / Notícias
Pular fase na vida não é saudável – Rádio CBN

Pular fase na vida não é saudável – Rádio CBN

Post
Pular fase na vida não é saudável De acordo com a neurocientista Adriana Foz, é necessário viver cada uma em toda sua plenitude. Por isso, pais devem tomar cuidado com os estímulos que geram aos filhos. http://cbn.globoradio.globo.com/media/audio/70917/pular-fase-na-vida-nao-e-saudavel.htm
Leia mais
Adriana Fóz fala sobre as dificuldades de estudar na adolescência.

Adriana Fóz fala sobre as dificuldades de estudar na adolescência.

Post
Como a gente pode ajudar o adolescente a se concentrar no estudo? O que mais atrapalha a concentração deles? Como estabelecer limites? Qual é a melhor forma de ensinar os adolescentes?Para conversar sobre essas e outras questões, Sandra Annenberg recebeu uma família com um casal de adolescentes e a neuropsicóloga, Adriana Foz. http://g1.globo.com/como-sera/noticia/2017/03/estudos-na-adolescencia.html  
Leia mais
A neurociência como aliada do educador

A neurociência como aliada do educador

Post
Em entrevista ao blog, a Ana Maria Diz - Educação Vale a pena, Adriana explica como a compreensão do funcionamento cerebral pode ajudar o professor a lidar com as dificuldades e potencialidades de seus alunos. http://educacao.estadao.com.br/blogs/ana-maria-diniz
Leia mais
Encontro com Fátima Bernardes

Encontro com Fátima Bernardes

Home
Adriana Fóz participou do programa “Encontro com Fátima Bernardes” como convidada especial nos três blocos do programa, para falar sobre a importância da saúde emocional. Adriana, que sobreviveu a um AVC hemorrágico, falou sobre mudança de vida e como reaprendeu a falar e a andar. (mais…)
Leia mais

Qual a idade ideal para a criança começar a aprender outra língua?

Artigos
Com a volta às aulas, começam também as matrículas nos cursos extra-curriculares. Esporte, música e, claro, outro idioma estão entre os mais procurados pelas mães. Com tantas opções no mercado, podem surgir algumas dúvidas: coloco meu filho no inglês agora ou deixo para daqui alguns anos? De acordo com uma pesquisa feita por cientistas ingleses e americanos, de 2013, existe um período crítico de formação no cérebro para o aperfeiçoamento da linguagem entre os 2 e 4 anos de idade. Em outras palavras, isso significa que, nessa faixa etária, os circuitos cerebrais associados à linguagem estão mais flexíveis, daí a facilidade das crianças pequenas a aprender e a falar uma nova língua como um nativo. Os pesquisadores das universidades Kings College (Londres) e Brown University (EUA) chegaram a essa conclusão…
Leia mais
Como escolas brasileiras estão ajudando crianças a lidar com as emoções.

Como escolas brasileiras estão ajudando crianças a lidar com as emoções.

Home
Amanda Mont'Alvão VelosoHuffPost Brasil Na rotina de uma criança, é comum falar sobre as aulas na escola, os passeios extracurriculares ou as lições de casa. Dentro e fora do ambiente escolar, português, matemática, ciências e geografia acabam dando o tom de muitas das conversas. Mas pouco se fala sobre a raiva sentida por um educador diante de uma avaliação, a inveja de um coleguinha, o medo de ir para a escola e sofrer bullying mais uma vez ou a total falta de vontade de sair de cama e viver. Pode parecer exagerado, mas a depressão, a automutilação e o suicídio são uma realidade entre muitas crianças e adolescentes, o que representa um desafio alarmante tanto para pais quanto para crianças. Um levantamento da Associação de Líderes de Escolas e Faculdades…
Leia mais

neurociência transforma formação de professores

Artigos
A regra do jogo é simples: um grupo de professores, cada um com um copo vazio. Quando são apresentados a situações que causem raiva, despejam um pouco de líquido no copo. Indisciplina, agressividade e desatenção são situações corriqueiras que acontecem em sala de aula, mas para muitos deles podem fazer transbordar o copo. Esta é uma das atividades realizadas pela equipe do programa Cuca Legal em 17 escolas de São Paulo. O objetivo é mostrar para os docentes do ensino fundamental a importância da educação emocional. Na base dos exercícios está a neurociência. — Os professores aprendem como o cérebro funciona, como é provocada a empatia e como o controle de impulsos impacta no aprendizado — diz a neuropsicóloga e coordenadora do programa, Adriana Fóz: — Se o professor não…
Leia mais